Atravesar o fantasma, de Carlos Callón

Carlos Callón

Atravesar o fantasma

Xerais, 64 páxinas, 12,50 €

Unha sorte de crestomatía, persoal e lírica, que percorre tematicamente a metade dunha vida é o que ofrece Carlos Callón neste libro. Nel pendúrase o íntimo ao sol, ábrense as portas a un discurso confesional que posibilita transitar polo experimentado, apelando ás revoltas da memoria como eixe que reconstrúe ese ronsel que deixaron momentos e descubertas. Non se esquece afondar na dimensión dos afectos nin esculcar na permanencia das cicatrices. Xaora, fican desveladas tamén conviccións que o paso do tempo e a vida axudan a crear.

Esta recensión publicouse nas páxinas do suplemento “Fugas”, de La Voz de Galicia, o 29 de xaneiro de 2015.

3 Comments

  1. Muito obrigada por apresentá-lo com a sua última obra em seu blogue, Ramón Nicolás! Carlos Callón é um escritor ‘fora de série’. O último livro que possuo dele é ‘En Castellano No Hay Problema’, com o qual aprendi muito, como sempre.

    A Galiza está dentro do meu coração, não canso de dizer, mas com todos os escritores e escritoras que você apresenta diariamente, ela se agigantará. Bom-dia pra você e sinceras saudações a Carlos Callón. Quanta alegria!

    1. Ramón Nicolás, tenho muito orgulho de falar de vocês e da Galiza; tenho muito prazer de estar a par de tudo o que acontece por aí. Vivi em Santiago, onde fui tratada como irmã, pelos mais jovens, e como filha, pelos mais velhos, fiz amizades para toda a vida; sinto-me eternamente grata a todos vocês.

Os comentarios están pechados.